Empréstimo de bicicletas em SP aumentou 27,5% em março, diz Bike Sampa

O Bike Sampa registrou alta de 27,5% nos empréstimos de bicicletas em março de 2020, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados da Tembici, empresa que opera o sistema.

Para a empresa, o aumento se deve ao maior uso para a entrega de produtos, como delivery de comida, e por profissionais de serviços essenciais, como o de saúde.

Na comparação com o ano passado, houve também uma mudança nos horários de uso: o movimento passou a ser maior por volta das 12h e das 20h, o que pode indicar o uso para entrega de refeições. As áreas com mais viagens são as das avenidas Faria Lima e Paulista e a Vila Olímpia.

Antes, os horários de pico ocorriam às 8h e às 18h, momentos de entrada e saída dos escritórios.

Em meados de março, a cidade entrou em isolamento social por recomendação do governo do estado e da prefeitura, que ordenaram o fechamento de lojas e de serviços não-essenciais como forma de conter o avanço do coronavírus.

Com isso, houve redução na oferta de transporte público, o que dificultou a vida de quem precisou seguir trabalhando. Por outro lado, com menos carros nas ruas, ficou mais fácil pedalar.

A Tembici também deu isenção temporária para os usuários com planos mensais e anuais que não usem as bikes nesse período. Para usar o Bike Sampa, é preciso comprar um passe diário (R$ 8,80), mensal (R$ 29,90) ou anual (R$ 239). O serviço possui 260 estações de empréstimo na cidade de São Paulo.

Apesar da alta, a empresa faz campanha para que os usuários emprestem bicicletas apenas para viagens realmente necessárias.